"O(utros) Trabalho(s)", 2013 - presente

“O(utros) Trabalho(s)” navega numa zona cinzenta entre série e narrativa, aproximando-se da elaboração de um jogo mental. Por meio de improvisos visuais inspirados em estilos musicais como por exemplo o jazz, estabelece diálogo entre uma proposta escultórica, gestos de desenho e a própria midia fotográfica, colocando, lado a lado, situações meramente encontradas, cenas construídas e intervenções sutis.

Essa estratégia torna parte da mesma intenção poética o que é meramente registrado pelo olhar e o que é deliberadamente composto para se tornar registro, (esse jogo, portanto) interferindo na percepção e posição subjetiva  ocupada pelo espectador.

A presença de certas estruturas, sequências e pontos de fuga ao longo de "O(utros) Trabalho(s)” – como se fossem diferentes conjuntos que bastam em si mesmos ao mesmo tempo em que se relacionam com os demais – servem como referência e contraponto para modelos que controlam a forma como enxergamos e consumimos imagens.

Pela sua própria natureza, é um conjunto em constante processo e possibilidade de desdobramentos.

 

" The (other)  Work(s)", 2013 - present

" The (other) Work(s)" navigates a gray zone between series and narrative, approaching the elaboration of a mental game. Through visual improvisations inspired by musical styles such as jazz, he establishes a dialogue between a sculptural proposal, drawing gestures and the photographic media itself, placing, alongside, merely encountered situations, constructed scenes and subtle interventions.
That strategy makes part of the same poetic intention what is merely recorded by the gaze and what is deliberately composed to become record, (this game, therefore) interfering in the perception and subjective position occupied by the viewer.
The presence of certain structures, sequences and vanishing points throughout "The (other) Work(s)" - as if they were different sets that suffice in themselves at the same time as they relate to the others - serve as reference and counterpoint to models that control the way we view and consume images.

By its particular nature, it is a set in constant process and unfolding possibilities.

 

texto de Bruno Moreschi (text by Bruno Moreschi)